Ação contra Micotoxinas tornam Alimentos mais Seguros e Garantem Desempenho e Saúde Animal

Micotoxinas são compostos tóxicos produzidos por fungos, esses podem ser formados tanto em situação de lavoura quanto de armazenamento. De acordo com a Food and Agriculture Organization (FAO), estima-se que 25% dos alimentos no mundo esteja contaminado com Micotoxinas.

São conhecidos mais de 500 tipos de Micotoxinas, e é extremamente complexo ter conhecimento das concentrações reais de todas elas nos alimentos. Cada uma delas pode causar um efeito diferente no organismo do animal que consome esses compostos.

Tomar ações na lavoura que diminuam as contaminações por fungos nas lavouras podem ajudar, mas a contaminação muitas vezes é inevitável, pelo fato do plantio direto aumentar o risco de contaminação, o qual é uma prática necessária no campo, e também, pelo fato de esporos de fungos poderem ser transmitidos pelo vento de uma lavoura à outra mesmo à grandes distâncias. Ações no armazenamento podem reduzir os riscos como limpeza de equipamentos, evitar contato do alimento com oxigênio, evitar oscilações de temperatura do alimento. Porém, uma vez formadas na lavoura, as micotoxinas continuam no alimento até o momento que serão consumidas pelos animais.

Os efeitos fisiológicos resultantes na ingestão variam em relação ao tipo de micotoxinas ingeridas e das quantidades, variando desde distúrbios alimentares, diminuição de imunidade, problemas reprodutivos, dentre outros. Os compostos que ficaram mais conhecidos para fim de monitoramento foram: aflatoxina, deoxinivalenol, toxina T2, ocratoxina, zearalenona, fumonisina, compostos de Ergot, e toxinas de Penicillium. Monitorar esses pode dar uma ideia da contaminação real do alimento, mas ainda longe de se conhecer um risco absoluto perto das mais de 500 variedades de toxinas que os fungos conseguem produzir. Se é tão difícil controlar a deposição dessas toxinas nos alimentos e é tão complexo saber o risco real dos alimentos qual seria a solução para evitar queda de desempenho e riscos à saúde dos animais?

A empresa Nobre Nutrição Animal procurou soluções para minimizar os impactos desses compostos. Adotando um rigoroso controle de qualidade, tanto na escolha dos insumos e ingredientes que compões as dietas, quanto na higiene de equipamentos e ótimas condições de armazenagem. Para neutralizar ainda mais o desafio, compostos com poder adsorvente, que fazem o sequestro de micotoxinas e não deixam os compostos tóxicos serem absorvidos pelos animais foram desenvolvidos pela Alltech para garantir ainda mais segurança aos alimentos. Além da segurança alimentar, um programa de monitoramento dos níveis de contaminação foi implementado para conhecimento dos desafios.

O produto escolhido para oferecer proteção e segurança aos animais foi o Mycosorb A+®, esse adsorvente orgânico desenvolvido pela Alltech, tem o maior espectro de ação do mercado, garantindo, por meio do maior acervo de evidências científicas publicadas em revistas científicas de alto impacto, amplo nível de proteção para os diversos tipos de micotoxinas que possam estar presentes nos alimentos. Além de não fornecer interferência em outros nutrientes da dieta e passar por um intenso controle de qualidade de produção.

A empresa, de Castro – PR, composta por uma equipe técnica altamente capacitada, se tornou pioneira na comercialização de dietas conservadas, e com grande experiência na produção de fenos, silagens e pré-secado. Assim, garante além de ingredientes de alta qualidade, um forte controle de qualidade de produção e armazenagem, e proteção extra aos animais que consomem as dietas.

A excelência em produção e inovação na nutrição animal, aliada à biotecnologia alimentar, proporcionam segurança alimentar, alto desempenho, maior retorno produtivo e saúde aos animais.

 

Thomer Durman, Ph.D.